o meu, o seu, o nosso Fellini.

A exposição sobre Fellini, sua obra, vida e genialidade, foi prorrogada no Instituto Moreira Salles. O que tu tá esperando? Um convite? Alguém que te leve? Uma coincidência? Pois bem, escolha sua história e corra!!! Imperdível. Pena que minhas amigas Burle Carpas não estão na fonte. Desconfio que elas foram parar em Roma.. É bobo, é clichê, mas ainda vou arrumar um moço e um gato picolo i bianco que topem fazer a cena da Fontana no melhor estilo Anita Ekberg.

Curiosidades: A cena de strip-tease e mesmo a da Fontana di Trevi de La Dolce Vita foram inspiradas em acontecimento reais muito bem fotografados por Paparazzos (e lá vem o Federico inventando nomes) na louca Roma do final dos anos 50.

http://youtu.be/5gAvsKcUfBs

Interlocutores válidos

Conexões podem se tornar mais fortes, ou, podem permanecer como estão porque já são. Se isso não for bonito, não sei o que é.

Peguei o avião horas depois de ter comprado as passagens com uma felicidade genuína. Eu não precisava de mais nada além dela. Mas eu tive mais. E não é simples e ao mesmo tempo é absurdamente descomplicado. Resta saber o que o tempo vai sentir. Mas como ele não existe, vai se abraçar ao homem Brasília e tomar alguns conhaques.

A minha saudade do futuro está mais presente.

 

 

Bergman no Rio

Cheguei em cima da hora e entrei. Sala lotada. Fiquei imaginando aquela primeira sequência colorida. Será que tinha tons de lilás? Talvez um pouco de vermelho… A mostra que começou hoje no CCBB vai até 10 de junho e traz cerca de 50 filmes do diretor sueco. Um Barco Para a Índia é o terceiro filme do cineasta, que o adaptou da peça homônima de Martin Söderhjelm. A história entre pai, filho e uma dançarina de cabaré é carregada de tensão. A pobreza física e emocional da moça me tocou. E uma frase, do pai, depois de descobrir que ficará cego está rondando a minha mente.

– A pior coisa não é ficar cego. […] É nunca ter visto nada.


Amarelo

Eu adoro dançar no meio de desconhecidos, sentir o ritmo no meu corpo. O contágio que isso traz é positivo e agradável. Ontem foi como se eu comemorasse  com uma prece cadenciada todos os bons momentos dos últimos meses. Pensei no sol e quase senti o calor. Os amigos que apareceram, uns por uma noite, outros que, provavelmente, permanecerão bem mais que isso. Até o senhor que todo dia cruza meu caminho levando seu velho cachorro para passear quando estou descendo a rua do meu trabalho entrou nessa reza. Sentir que mesmo com dor e com perda e desencontros você, finalmente, depois de muito tempo, fez a coisa certa é de um alívio profundo.

Um final de semana que começa com Pixinguinha só podia ser bom.
Um final de semana que começa com Pixinguinha só podia ser bom.