Passagens secretas

O Rio tem disso. Umas passagens. Elas te levam pra longe. É só imaginar. Ontem foi a vez da Biblioteca Nacional me deixar boquiaberta. O tour guiado é rapidinho e dá pra fazer no horário do almoço, como eu fiz. Várias histórias, vários séculos e muita Art Deco. O mais legal foi ir ao banheiro e encontrar com as vigilantes voltando do almoço. 12 horas de trabalho digno e muito glamour. Todas, na frente do espelho passando batom.

 

Thomas Stevens foi o cara

Nestes tempos de bike lovers e muitos modismos, lembrei do originalíssimo amante da  Geraldine, Thomas Stevens. Imagina viajar de São Franscisco (EUA) até Tókio levando duas cuecas, duas meias e a roupa do corpo. Bom, a maioria das pessoas que eu conheço, mesmo para ir até a esquina, carregam um mala cheia de tranqueiras. Então imagina que esta viagem around the world foi feita em cima de uma bicicleta e lá pelos anos 1800 e tantos. Barbaridade, diriam alguns, maluquice diriam outros, amor diriam tantos. E tem livro sobre a viagem!!!!!

 

A bicicleta do ratinho

Uma das minhas mémorias da infância é ler O segredo do Curumim. Eu devia ter uns seis anos. Ganhei o livro de alguém, provavelmente do meu irmão Adilso, que além de me dar o livrinho/disco me deixava brincar com os vinis do Ha-ha e com as suas K-7 com compilações que iam de Beatles à Legião Urbana.  O vinil da Arca de noé também era guardado a 7 chaves. Mas aquele livro com o indiozinho que falava com onça e queria paz na tribo me cativou. Muito tempo se passou até eu entender que uma das razões de amar Chico Buarque era por conta das  tardes que passava escutando o disquinho que tinha Passaredo do Chico como música tema.

Nestes últimos anos, muitos dos meus bons e velhos amigos procriaram. Sim, a prole cresce a olhos vistos. E acho ótimo. Pais lindos, crianças conscientes do que é felicidade. Não sei se é por conta deste crescimento demográfico, mas tenho me deparado com boa literatura infantil. Hoje, no meio de um almoço delicioso surgiu um livrinho muito querido que preciso compartilhar. A bicicleta do Ratinho com texto e ilustração de Vitor Bellicanta conta a história de um ratinho que tem sua bicicleta roubada por um elefante. Ilustrações ótimas, com direito a Tamanduá pensativo e Hipopótamo apaixonado. Não tenho idéia onde o povo comprou o livrinho, mas achei o Flick do Bellicanta.

 

 

 

 

 

Rádio Elétrica

Gosta de boa música e de dar risada? Então clica: Rádio Elétrica. Mas se tu, como eu, é gaúcho, ama os pampas e se identifica com a estética do frio, então vai lá meeesmooo. Virou minha rádio gaúcha em Amsterdam. Se é pra animar, põe Rock na veia, sim, com R maiúsculo. Se é pra te tirar do buraco da saudade sulina, esquecer a chuva que cai lá fora, esquecer da língua dos selvagens porém amigáveis holandeses, clica lá e vai correndo escutar o Sarau Elétrico – gravação do talk show que rola todas as terças em Porto Alegre. Katia Suman, Luís Augusto Fischer, Claúdio Moreno, Cláudia Tajes e sempre, no final, uma canja de altíssima qualidade. Consigo até sentir o cheiro do Ocidente (o bar…rs).

A turma do sarau - Luís Augusto Fischer, Kátia Suman, Cláudia Tajes e Cláudio Moreno - Foto Cynthia Vanzella
A turma do sarau - Luís Augusto Fischer, Kátia Suman, Cláudia Tajes e Cláudio Moreno - Foto Cynthia Vanzella

OBA, OBA e OBA!

Se tem um lugar que eu amo em Amsterdam é a biblioteca central (OBA). O lugar é um negócio de louco. Vários andares recheados de livros, filmes, Cds, internet e computadores free. Foi ali que gastei meus primeiros dias em Amsterdam, há quase um ano atrás… E como foram bem gastos. Me lembro de, naquela primeira semana, ouvir, sempre por volta do meio-dia, uma velhinha cantando e tocando Edith Piaf no hall. Pois é lá que eu paro as vezes, encantada com o piano e com os músicos passantes que dão sua palhinha. O segundo andar dá arrepios. Filmes, filmes e mais filmes. Hoje fui lá alugar um, agora, com a carteirinha de membro, toda orgulhosa. Com o filme escolhido na mão, fui pedir informação sobre como o esquema funcionava para um senhorzinho que parecia trabalhar no andar. Ele era simpático e ficou um tempão brigando com o mecanismo que destravava a caixa do DVD. Mais tarde, quando fomos pagar o euro que é cobrado (só cobram para os filmes, e acreditem, vale a pena), a moedinha se recusava e escapulia da máquina. Então, ele, com uma cara de sapeca, pegou a moeda, passou no cabelo, esfregou, deu uma sopradinha e em segundos a danada foi que foi pra dentro da engenhoca. Ele me olhou e disse: “depois das cinco também fazemos mágica.” Sempre que vou lá, meu humor melhora. Descobri que não é só o lugar que me deixa feliz, são também as pessoas.  http://www.oba.nl/

Magic Galaxies

Temos fases. Em tudo. Na leitura, por exemplo, quando adolescente eu gostava de livros de terror. Era um esquema diabólico. Depois pus na cabeça que eu iria ler todos os clássicos, Guimarães Rosa, Flaubert, Jules Verne, Nietzsche… tudo sem muito critério. Mas vou confessar, tenho uma queda perversa por livros de mistério. Não adianta. Os livros de suspense e crimes estão para mim como as novelas para as minhas tias. Carrego junto, leio no busão, no trem, no metro, no banco da praça. Fico autista (tá Bruno, eu sou autista, eu sei…rs). E aqui em Amsterdam o melhor lugar pra encontrar este tipo de literatura é na rua. Sim, na rua. A banquinha da Susie fica na feira de livros da Spuistraat – Spui market . Ela e o Vincent são fãs de livros de ficção científica e fantasia. Eles não tem site, mas você pode mandar um e-mail: magic.galaxies@xs4all.nl – ou ir na feira, que é bem mais interessante.

We have phases, at all. In reading, for example, when I was a teenager I liked scary books. It was a diabolical scheme. After, I put in my head that I would read all the classics, Guimarães Rosa, Flaubert, Jules Verne, Nietzsche … all without much order. But I confess, I have a evil thing about mystery books. The thrillers books for me are like television soap operas for my aunts. I carry along, in bus, train, subway, the park bench. I am autistic when I’m reading. And here, in Amsterdam, the best place to find this kind of literature is on the street. Yes, on the street. The bookshop of Susie is in the Spuistraat – Spui market. She and Vincent are fans of science fiction novels and fantasy. They have no website, but you can send an e-mail: magic.galaxies @ xs4all.nl – or go to the fair, which is much more interesting.

A Susie e sua coleção "Star Wars"