The Rembrandt House

Demonstração de como fazer uma gravura de Rembrandt... incrível.

Fiquei com o quadro que vi estes dias do Rembrandt na cabeça, aquele do Rijks Museum. Aliás, Rembrandt me deixou um pouco intrigada, por isso, ontem, fui até a casa que ele morou em Amsterdam. The Rembrandt House. O museu fica muito perto do Waterlooplein, um dos maiores mercados à céu aberto da cidade. Rembrandt comprou a casa em 1639. Em 1656 teve graves problemas financeiros e precisou se desfazer de sua grande coleção de arte e objetos exóticos (tem até jacaré empalhado em uma das salas que mostra os objetos, agora, reunidos). Em recente reforma, o interior da casa foi redecorado para que pudessemos realmente visualizar como a casa era quando habitada. São vários andares que mostram desde o quarto de visitas até o estúdio onde Rembrandt trabalhava, minha parte preferida da casa.

As tintas. Os pigmentos usado pelo artista vinham de pedras coloridas que, infelizmente, não vou lembrar o nome, algumas caríssimas, inclusive. Logo após ter tirado esta foto uma das funcionárias do museu fez uma demonstração de como Rembrandt fazia sua própria tinta. Foi genial, fiz um vídeo, mas acho que preciso de umas aulas com meus amigos cineastas, porque ficou muito ruim…rs.

Curiosidade: O povo naquela época bebia bastante cerveja. O vinho era muito caro. Na cozinha, lugar mais frequentado pelos moradores da casa, tem uma cama que fica dentro de uma estrutura de madeira fechada. Também a cama de Rembrandt, em seu quarto, ficava em um compartimento de madeira com portas. Além de estranho, o que me chamou atenção para este detalhe foi o tamanho dos cubículos. Talvez seja só impressão, mas tenho quase certeza que um holandês, deitado e esticado, não caberia ali, já que eles são altos, muito altos. Bom, mas isso talvez seja papo de baixinha.

site: http://www.rembrandthuis.nl

Desafio do Museum card

Lancei um desafio pra mim mesma. Contando a partir desta data vou visitar todos os museus que o Museum Card tem na sua lista. Comprei esse cartão dia desses e ele dá direito a entrar quantas vezes tu quiser nos museus credenciados ao serviço  http://www.museumkaart.nl/ São quase trinta opções. E o desafio é: visitar todos até o final deste ano. Hum… um pouco de loucura pra agitar. Vou enfrentar os dias congelantes de novembro e dezembro e sair a caça de algum museu para explorar. Fazendo uma conta simples, vou ter que visitar um museu a cada dois dias.

Entrada do Museu. Estacione sua bicicleta na frente, do outro lado da rua. A Geraldine ama ficar ali.

Comecei hoje com o museu de arte Rijksmuseum (http://www.rijksmuseum.nl). Maior museu dos Países Baixos com mais de 1 milhão de visitantes por ano, fica na Stadhouderskade 42, no bairro dos museus. Quadros de Rembrandt, Jan Lievens, Hendrick Avercamp. Cerâmicas, armas antigas e até casas de bonecas (lindas por sinal). Eu sabia que Rembrandt era um grande pintor, mas, na minha ignorância, desconhecia que ele era também gravador. Suas obras estão espalhadas pelo museu, algumas chamam atenção pelo tamanho e profundidade. Por exemplo, The Syndics of the Amsterdam drapers’ guild, além de enorme, impressiona pelo olhar dos seis homens retratados. Que Da Vinci me perdoe, mas perto do quadro de Rembrandt o olhar da Monalisa fica miudinho e sem graça. Alias, quem vai ao Louvre ver a Monalisa consegue, no máximo, ver os japoneses que, alvoroçados, fotografam sem parar (sim, porque quando estão em viagem os japoneses substituem a retina pela câmera fotográfica, isso já é comprovado). Rembrandt Harmenszoon Van Rijn nasceu na Holanda em 1606 (há controvérsias quanto a data), fez sucesso com seus retratos, foi um grande mestre para seus discípulos e sua empatia pela condição humana fez com que fosse chamado de “profeta da humanidade”. Uma curiosidade: o artista recrutava seus vizinhos para servir de modelo em suas obras, muitas delas inspiradas em passagens bíblicas. Imagina, ao invés de pedir um xícara de farinha ou um pouco de açúcar o teu vizinho bate na porta e diz: Olá vizinho, tu podes vir aqui um pouquinho? Preciso que tu pose para um retrato!

Bom, começa aqui uma mini jornada que, provavelmente, será bem divertida (tá… divertida pra mim rsrs, mas vocês podem acompanhar, né!). Para os que desconfiarem das minhas visitas vou guardar as entradas como prova (duvido que vai ter alguém interessado nisso no final de dezembro, but…é só pra constar nos anais do desafio). Finito.