Valentine’s day

O imperador Claudio II proibiu os casamentos em Roma por volta de 197 AD. Soldados solteiros seriam mais devotos à guerra. O amor não valeria nada . Mas Valentim, padre da igreja católica nesta época, pensava diferente e celebrava casamentos secretamente. A prática foi descoberta e Valentim foi preso e condenado à morte. Reza a lenda que, enquanto aguardava na prisão, ele se apaixonou pela filha cega de um carcereiro e, milagrosamente, devolveu-lhe a visão. Antes de partir, Valentim escreveu uma mensagem de adeus para ela, na qual assinava como “Seu Namorado” ou “De seu Valentim”.

Hoje pegamos as chaves do nosso primeiro apartamento em Amsterdam. A noticia me deixou radiante e para comemorar esse mais que feliz dia dos namorados fiz brigadeiros e vi, junto com os meus colegas de inglês, Romeo and Juliet de 1968. Os suspiros rolaram soltos. China, Japão, Etiópia, Mongolia, Irã, Iraque, chile, Peru… não importa a nacionalidade…  é incrível, mas é isso mesmo, o amor é universal.

Ah, o povo amou os “negrinhos” (no sul do Brasil o brigadeiro tem apelido).

2 Replies to “Valentine’s day”

    1. Lindo. Tinha visto há muitos anos atrás. Acho que eu era adolescente até. E lembrava de umas cenas que me marcaram. Foi incrível ver de novo e do lado de pessoas tão especiais como os meus colegas de inglês, de tantos países e culturas diferentes.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *